Financas

Qual o risco de investir em Ações

determined-vaughan on 27/07/2021 0 Comments

Quando se trata de investir em ações na bolsa de valores, algumas pessoas preferem investir menos porque têm medo de perder tudo o que guardam e constroem.

Você conhece os riscos de investir em ações?

Em primeiro lugar, é necessário entender o que é risco de investimento.

Risco é a probabilidade de que certas incertezas ou variáveis ​​não calculadas afetem o desempenho de um determinado aplicativo.

Portanto, está diretamente relacionado à previsibilidade do retorno dos fundos de investimento.

Algumas pessoas gostam de correr riscos elevados para ter sucesso no mercado de ações.

Mas saiba que você pode minimizar o risco de investir em ações.

Para isso, é preciso ter cautela e saber que retornos elevados virão em algum momento.

Liquidez

O risco de liquidez é a dificuldade de encontrar de maneira rápida compradores para as ações que você deseja vender.

No entanto, esse tipo de risco pode ser minimizado com a compra de papéis de empresas sólidas, evitando assim os chamados “micos” da bolsa.

E justamente, por conter esses riscos é que as ações de empresas sólidas têm uma maior demanda na Bolsa de Valores, como resultado, uma boa liquidez.

Empresa

Acima de tudo, o primeiro passo para investir em uma determinada empresa é avaliar algumas situações, como:

  • Pesquisar se a empresa está em crescimento ou dando prejuízo para os acionistas.
  • Verificar os índices de rentabilidade e endividamento da mesma.

Porque são esses fatores que devem ser levados em consideração, principalmente porque as empresas que têm problemas com caixa ou de crescimento têm como tendência serem mal avaliadas pelo mercado financeiro.

Como resultado, queda no preço das ações nas instituições.

Mercado

Em terceiro lugar, o risco de mercado.

Acontece quando o preço da ação é desvalorizado em decorrência de variáveis macroeconômicas externas, que estão fora do controle da empresa.

Com isso, um aumento da intervenção estatal nos bancos públicos pode fazê-los perder a competitividade no mercado.

E são as interferências externas que representam risco de mercado.

Por exemplo, as variações na inflação, os juros e até mesmo a taxa de desemprego atualizada.

Corretora

Outro risco é com relação às corretoras.

O objetivo principal delas é atuar obrigatoriamente na intermediação entre o investidor e a empresa, auxiliando na compra e venda de papéis (ações).

E caso a corretora quebre, não vai acontecer nada com as suas ações. Isso porque elas ficam no seu nome na Câmara de Ações, ok?

Então, qual é o risco?

Os riscos de investir em ações acontecem quando o seu saldo livre em conta pode ser confiscado, em caso de falência da corretora de valores.

Por outro lado, o risco da corretora falir é raro, porém não é impossível.

Juros

Nesse tipo de risco, as taxas de juros do mercado afetam as ações de duas maneiras:

  • Custo de oportunidade, quando as taxas sobem e os investidores têm um incentivo adicional para investir em renda fixa.
  • Manifestação específica de cada empresa ou setor, pelo fato de que algumas delas acabam tendo uma sensibilidade maior às taxas de juros.

Cambial

Para finalizar, cita-se o risco de câmbio.

Semelhante ao risco dos juros.

Pelo fato de se ter um lado específico, enquanto o outro é mais voltado para uma sistematização.

Além de todos esses riscos, para os que fazem investimentos internacionais, é importante ressaltar, que as taxas de câmbio acabam tendo uma relação intrínseca com as taxas de juros.

E aí gostou do artigo?

Deixe sua opinião sobre os riscos dos investimentos? E dê uma nota de 0 a 10 para sua vida financeira.

 

Comments are closed.